Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aviação Portuguesa - Blogue

A todos os mecânicos de avião do mundo... Ao meu curso: Novembro de 1953

Aviação Portuguesa - Blogue

A todos os mecânicos de avião do mundo... Ao meu curso: Novembro de 1953

Sobre helicópteros

(5)Jetranger (1).jpg

A propósito de helicópteros
A propósito de helicópteros a fazerem acrobacia, e outras "internetices" que de vez em quando aparecem por aí, que fique esclarecido: Um rotor principal de um helicóptero é muito mais do que uma ventoinha feita de camisas de espigas de milho a girar num canoilo. Nem pouco mais ou menos.

Clic e veja: - Aviação Portuguesa 

Aniceto Carvalho

Pessoas muito importantes

PESSOAS MUITO IMPORTANTES

A aviação é um ramo de actividade em que toda a gente é muito importante: Pilotos, controladores, secretárias, assistentes, varredores, etc. e tal, até uma coisa chamada GROUNDFORCE" que ninguém sabe muito bem para que serve... o único profissional do ramo que não faz falta nenhuma na aviação é o que faz com que os aviões voem para todos os outros lá irem buscar o ordenado ao fim do mês.

NOTA SOBRE O TEXTO

Estava a ver um filme que abordava uma profissão do ramo da aviação que, sabe-se lá porquê, parece gostar muito de andar ao cólinho. Saiu isto.

Este texto  foi escrito por um mecânico de avião, eu próprio, o tal “único profissional do ramo que faz com que os aviões voem para que todos os outros comam".

(4)Reizinho (14).jpg

Aniceto Carvalho

Um curso especial - 1954

(54)BA6b.jpg

A VOZ DE UMA GERAÇÃO
18 anos de vida militar, dos 17 aos 35.
Voluntário, mecânico de avião e militar de carreira... um militar diferente, ainda assim militar. Assumido sem quaisquer reservas... até na Guerra do Ultramar: Se era militar profissional era para quando mais precisavam de mim, não era só para o regabofe e para mostrar a farda.
Não me fez diferença nenhuma. Muito pelo contrário.
Sou do tempo da 2ª. Guerra, das bichas para o pão e para o açúcar, aos 17 anos tinha vivido uma vida de dificuldades, trabalhava desde os primeiros passos, cinco anos dos 17 a 250 quilómetros das saias da mãe.
64 anos depois dos 17 anos olho para trás... não tenho encontrado por aí muita gente de mais sólidos princípios e melhor formação.
Aniceto Carvalho</p